quarta-feira, 29 de julho de 2015

FRAGMENTOS...
Cid José Passos Bastos

  • Fico pensando nos egoístas, não que eles mereçam isso, mas penso em atitudes que poderiam ser diferentes. E de pensar que tudo no Universo conhecido, depende, inicialmente, da INTERAÇÃO de quatro forças fundamentais: interação nuclear fraca, interação nuclear forte, interação eletromagnética e interação gravitacional. Não adianta, não existe o só!
  • Na estrada da vida, andemos com cuidado, pois não sabemos o que se encontra após uma curva.
  • Na estrada da vida existem muitos obstáculos, de diversas naturezas. Entretanto, a vida sempre nos oferece várias ferramentas adequadas para ultrapassarmos esses obstáculos. Agora, caso você escolha a ferramenta errada, a caminhada será bem mais árdua.
  • Conhecimento não se adquire, se estrutura.
  • Liberdade não se ganha e nem se consegue, ela é construída, com responsabilidade e ética.
  • O egoísmo só tem um caminho: a verdadeira e inevitável solidão. Sejamos, pois, altruístas.
  • As coisas são belas pela sua essência, e não pela sua aparência. A frase pode parecer já muito batida, contudo, parece que muitos não sabem dessa simples verdade, considerando que existem preconceitos e muita discriminação, de variada natureza.
  • Por que tanta arrogância? Afinal, o que pensamos que somos? Lembremos que dependemos, para viver e sobreviver, dos mais simples (aparentemente) seres vivos, bem como de todo o conjunto de interações bióticas e abióticas. A vida nos ensina a todo o momento que não estamos isolados, não somos independentes.
  • Ao olharmos um lago, por maior que ele seja, não devemos confundi-lo com o oceano; ao olharmos o oceano, não devemos acreditar que no mundo só existe água; ao olharmos a Humanidade, procuremos não ver apenas as suas mazelas.
  • Lembremos: o mal é a ausência do bem, e não o seu oposto. Que possamos perceber essa importante diferença.
  • Não confunda amor com apego: do apego surge insegurança; do amor, confiança.
  • Não percas tempo com coisas que nada acrescentam ao teu crescimento intelecto-moral.
  • São momentos graves, esses, os atuais. Cuide para que não sejas levado no turbilhão das inconsequências.
  • Não desanimes. A lapidação é necessária para que a gema brilhe com toda a sua beleza.
  • Mais de 14 bilhões de anos de evolução, desde a formação do Universo conhecido, e ainda odiamos e somos egoístas, em total confronto com as leis de interação que regem as partículas (ou ondas...) que constituem a matéria. Até quando?
  • Há pedras no caminho? Antes de medir a dificuldade, procure ver, primeiro, a beleza de cada uma delas, e que ali estão para tornar mais dinâmica a nossa caminhada, menos monótona, ao tempo que nos exercita o discernimento sobre o melhor caminho a seguir.
  • Não julgues o Sol pelo seu calor, mas pela sua luz!
  • Vale a reflexão.
  • O arco-íris nos mostra que a essência é sempre mais bela que o exterior.
  • Guerras, preconceitos, escravidão...todas essas mazelas são filhas diletas do egoísmo, responsável por muitos males que atrasam a evolução da Humanidade. Mas, se cada um trabalhar o seu interior no sentido de melhorar a cada dia, buscando ser mais altruísta, conseguiremos progredir e diminuir a proporção inversa entre desenvolvimento tecnológico e ético-moral.
  • Que possamos construir o nosso futuro, mas utilizando as ferramentas certas.
  • Ninguém é dono da verdade, pois a verdade não pode ser criada, ela já existe por si mesma. Mas, existem muitos donos da mentira, pois esta, sim, é criada, não é real.
  • A paciência é uma conquista evolutiva. Procuremos desenvolvê-la cada vez mais, pois iremos precisar muito dela a cada dia...
  • Valorizemos cada momento de nossas vidas, pois são únicos e, por mais semelhantes que possam ser, não se repetem. Cada um deles é um grande aprendizado. A vida é assim, uma eterna escola em que nós somos aferidos sempre. Portanto, que pensemos nas nossas escolhas e atitudes, pois, certamente, constituirão os nossos momentos.
  • Em tempos de comemoração de descobertas e dia do amigo, lembro-me que o maior desafio é descobrirmos a nós mesmos, encarar a nossa própria realidade, o nosso eu; o verdadeiro amigo, compreende isso.
  • Encarar a vida como um jogo é um erro de percepção. A vida não depende de estratégias ou sorte, mas de escolhas e atitudes; e fazer escolhas não implica em traçar estratégias, mas sim em ponderar o que deve e é lícito ser feito. Que possamos basear as nossas escolhas na ética e no altruísmo, e não no jogo de interesses.
  • Não devemos nos impacientar com as dificuldades; a luz vence as sombras da noite a cada amanhecer, e cada amanhecer é uma nova oportunidade luminosa que surge.